Glitch Art – “a digitalização está “canibalizando” e “regurgitando” todos os tipos de imagem, fotográficas ou não.”

“a digitalização está “canibalizando” e “regurgitando” todos os tipos de imagem, fotográficas ou não.”

Alinhado com os conceitos de Santealla da análise através da categorização das culturas humanas em seis grandes eras civilizatórias: a era da comunicação oral, a da comunicação escrita e da comunicação impressa , a era da comunicação propiciada pelos meios de massa, a da comunicação midiática e por fim a era da comunicação digital. (Santaella, 2003 a: 13 – 14, 78)  //? o que quis dizer aqui?

Segundo Santaella, o surgimento de uma era não exclui ou elimina as eras anteriores, o que acontece é uma sobreposição de camadas que se misturam e se retroalimentam em uma malha cada vez mais elaborada e complexa e o que vivemos hoje é um processo cumulativo complexo.

Com uma maior difusão das ideias a partir da invenção da imprensa e a massificação dessas ideias e a partir da era industrial, os campos da arte e da informática, começam a se cruzar de forma mais afetiva. A partir do Renascimento a cultura antes limitada as elites, “belas artes” e a cultura popular. //?

A da segunda fase da revolução indústria (eletroeletrônica), com a chegada do rádio e em seguida a TV, acontece um boom da cultura de massa e no momento atual, onde podemos interagir com os eletroeletrônicos de maneira mais efetiva.
A autora chama nossa atenção para uma ideia defendida por ela desde os anos 80, sobre a importância entre as culturas ditas eruditas, populares e de massa, onde essa terceira deve ser vista deslocada das primeiras, pelo contrário, ela deve ser vista como ponto de reflexões e mudanças e dentro dessas malhas.  //? rever

Resumindo a comunicação de massa potencializou a hibridização nas formas de comunicação e cultura.

“LA CERTEZA DEL ERROR” Museo Nacional de Bellas Artes de la Ciudad de Buenos Aires.( Setembro de 2014). Dentro desse novo campo da contemporaneidade arte & Tecnologia abrem um lastro de possibilidades, mas podem acontecer “acidentes” e esses podem se muito bem vindos. Uma exposição realizada na galeria Arte x Arte em Buenos Aires, alguns artistas exploram essas possibilidades estéticas.

Obras:

Glamour Girl, de Mariana Pierantoni (2011) . Um vídeo com vários trechos de quedas de modelos durante desfiles de moda (catwalk), recolhidos no Youtube, ao som da música Glamour girl.

Sin título (trenes), de Lorena Salomé (2007) Instalação eletrônica / Medidas: 80 x 80 x 140 cm

A segunda obra é uma instalação sobre trilhos de trens de brinquedo. Os pequenos trens se movem independentemente mas ao mesmo tempo dependem um do outro. Foi feita uma programação para que os trens sigam mesmo depois que se choquem “se acidentem”. Os trens são programados igualmente e podem mover-se pra trás e para frente em quatro velocidades diferentes.

https://vimeo.com/14862962

Artistas visuais como David Szauder (Hungria, 1976), exploram os erros de configuração denominada Glitch de forma intencional com a utilização de um programa que permite ao usuário, alterar as configurações logarítmicas da imagem. Na serie Failed Memories (2012 -2015) em que causa um “ruído” no retrato de uma personagem, para propor uma reflexão em mão dupla, a preservação da memória e do esquecimento. Em “Leona y Francesca”, uma imagem do passado é exposta no presente com um “ruído” digital. Duas irmãs que tem um passado afetivo juntas mas hoje, uma delas não quer compartir essas memórias.

3b888a49739167-5608691c54581
Leona y Francesca, de David Szauder (2012) Papel fotográfico mate / Medidas: 24 x 30 cm

Nesse caso a questão não é a memória afetiva e os sentimentos, mas a fragmentação da memória pelo esforço, uso, um homem que fez tantos cálculos matemáticos que seu cérebro se decodifica.

110e5149739161-5608674969da1

The story of Mr. Wolf, de David Szauder (2012)

Fotografia com interferencia digital.

No vídeo de Lairret Segretieer, um retrato se constrói e se desconstrói com pixalização da imagem. Um rosto de mulher supostamente oriental que se move sensual e sutilmente, acompanhada de uma musica nostálgica.

Embora as demais obras da expo tenham boas explicações, essa que se intitula “Noli me tangere”, não me toque em latim foi a frase que Jesus teria dito a Maria Magdalena, única pessoa que o teria visto após sua ressureição (Evangélio de San Juan(20:14-18).

Esse trabalho segue uma das maiores tradições da pintura, a representação de cenas bíblicas. Como na tela de Tiziano (Noli me tangere).

http://obrasmnba.blogspot.com.br/2015/09/la-certeza-del-error-parte-ii.html

GLITCH ART

A Glitch Art situa-se na tradição histórica da arte processo e da arte acaso. Automatismo e oportunidade, a colagem do Dada, o Surrealismo , o situacionismo e a Art pop. Arte de dispersão, arte generativa e algorítmica. Pintura de ação fornece o conceito útil de “composição all-over”¹, como uma forma de evitar a exigência de intenção específica , localizada esteticamente de avaliação uma imagem. Também fica nas tradições históricas de remistura arte, detournement e décollage . O conhecimento de que a imagem foi alterada é a chave para a sua recepção estética. A perspectiva de Panofsky pode ser aplicada a Glitch como forma. Glitch é efeito ( um corpo de efeitos ) que gera “forma crítica” . Os padrões de ruído ou sinais de confusão que resultam do analógico ou corrupção de imagem digital e os efeitos sobre as secções deslocadas da imagem corrompida são forma, apresentadas para avaliação estética positiva ao invés de removido para evitar avaliação técnica negativa. Isso complica diagrama de transmissão de informação de Shannon. O ruído ironizado em sinal. O bom funcionamento e a possivel perfeição dos sistemas desumanos é inquietante. Glitch reafirma sua materialidade na medida em que o fez generalizar falhas específicas a um sistema geral o humanizando e fornece uma maneira de criticar o seu funcionamento sem ser visto através de meios visíveis. Quando uma tecnologia se torna conhecida, faz com que seus problemas ou deficiências, fiquem mais familiarizadas e disponíveis para uma utilização estética e artística, como por exemplo as dissonâncias e ruídos causados pelas agulhas nos acetatos dos primeiros gramofones. Esses ruídos foram capturados nos anos 80 pelos DJ’s, no Hip Hop e até mesmo na musica e clip Erótica, do álbum de mesmo nome da Madonna de 1992.

_________________________________________________________________ ¹composição all-over: expressão usada para descrever trabalhos como o de Pollock, que cobria a superfície da tela com um sistema fortemente indiferenciado de motivos, dando a impressão que ele continua indefinidamente, além da moldura.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
GRAU. Oliver. Arte virtual (Da ilusão à imersão). São Paulo. Ed. Senac.

MANOVICH, Lev (2001). The Language of New Media. The MIT Press.

SANTAELLA, Lucia (2008) 3ªed. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: PAULUS ( 2005).

REFERENCIAS DA INTERNET

https://www.youtube.com/watch?v=yekCwuS03FI&feature=youtu.be Visitado em 17/07/2016.

http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/profunc/infor_aplic_art.pdf Visitado em 17/07/2016.

https://www.google.com.br/search?q=glitch&espv=2&biw=1600&bih=755&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ved=0ahUKEwiGl_-c1vrNAhXHEZAKHSeOBnsQsAQIHg&dpr=1#imgdii=k7Yyorx1-GPkAM%3A%3Bk7Yyorx1-GPkAM%3A%3BQf_oAnQ0jRpR0M%3A&imgrc=k7Yyorx1-GPkAM%3A Visitado em 17/07/2016.

https://pixelnoizz.wordpress.com/tag/glitch-art/page/2/ Visitado em 17/07/2016.
http://obrasmnba.blogspot.com.br/2015/09/la-certeza-del-error-parte-i.html Visitado em 17/07/2016.

https://www.airtightinteractive.com/2011/02/glitch-your-images-with-imageglitcher/ Visitado em 17/07/2016.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Claude_Shannon Visitado em 17/07/2016.
https://books.google.com.br/books?id=tFLigViH56MC&pg=PA83&lpg=PA83&dq=composi%C3%A7%C3%A3o+all+over&source=bl&ots=UYirr0jWDW&sig=NQps0btZaeEt7KC9iRq4lBcaH_c&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjv66KjjvzNAhVGWpAKHSHyAEYQ6AEIHDAA#v=onepage&q=composi%C3%A7%C3%A3o%20all%20over&f=false

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s