KRAFTWERK – THE MAN MACHINE (live)

[ trabalho da disciplina História da Computação Gráfica e Novas Mídias ]

KRAFTWERK – THE MAN MACHINE (live)

O vídeo apresentado em aula, é um diário sobre questões que surgem no séc. XIX, atravessam o XX e reverberam na atualidade do XXI.

O grupo composto de quatro músicos vestidos formalmente com ternos e gravatas pretos tem suas fisionomias pouco distinguíveis pela iluminação de cena, embora seja possível perceber que são homens de meia idade (o grupo foi fundado em 1970 em Dusseldorf), o que reforça a ideia de não identidade e de serialidade que já começa com a revolução industrial com operários que apenas completam e repetem exaustivamente tarefas que as maquinas ainda não são capazes de fazer.

A ideia de serialidade e de perda da identidade estão presentes todo o tempo, tanto nos três grandes telões que repetem as mesmas imagens e palavras, tanto pelo som eletrônico da banda, em ritmo randômico e vozes, filtradas por um vorcorder ou geradas sinteticamente.
O conceito estético Gesamtkunstwerk (obra de arte total) oriundo do romantismo alemão no séc. XIX e defendido por Wagner, onde se conjugam teatro, dança, canto e artes plásticas em uma única obra, está presente. Assim como o Concretismo na materialização de conceitos intelectuais, através da geometrização das formas, movimentos e cores artificiais, repetição e jogo de palavras (poesia concreta) também, assim como o Minimalismo com a redução máxima dos elementos cénicos, sonoros e poéticos e o Futurismo, com uma incessante sequencia de maquinas em movimento, como trens, carros e bicicletas no famoso “Tour de France”, onde uma sequencia de sombras, faz fundir a imagem do ciclista e da máquina (bicicleta e suas rodas), preconizando a hibridização entre homem + máquina.

Músicas:

 The Robots

 Spacelab

 Metropolis

 The Model

 Neon Lights

 The Man Machine

 Autobahn

 Vitamin

Como se pode observar pelos títulos das músicas e dependendo de seus contextos individuais, são observados elementos dos movmeintos artísticos anteriormente citados e diversas referêrencias, tais como: a repetição de palavras exaustivamente, dando sensação de “lavagem cerebral”, as cores utilizadas são basicamente o preto, o branco e o vermelho (posteres do concretismo Russo) e em alguns momentos o verde neon (flow), que dá sensação de eletricidade quando usado sobre o preto, principalmente na música “Robots” em que os músicos são substituidos por robos, literalmente.

As estradas de ferro e auto-estradas (Autobahn), sem partida e sem chegada, levando a lugar nenhum e as maquetes, lembram a abstração geométrica de Mondrian. Alem de músicas como Vitamin onde aparecem as palavras: endorphin, adrenalin, carbohidate and vitamins A, B, C, D… que sugerem a necessidade de “suplentos artificiais” para suportar as demandas desses novos tempos.  //somos já ciborgues (veja A antropologia do ciborgue da Donna Haraway)

Referencias da Internet.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Kraftwerk

https://pt.wikipedia.org/wiki/Concretismo

https://pt.wikipedia.org/wiki/Minimalismo

https://pt.wikipedia.org/wiki/Futurismo

[ existem normas para citar tipo de referencia]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s